Cine Quarentena | ‘Chamadas Para a Quarentena’, ficção nacional no Instagram

Em ‘Chamadas para a Quarentena’, um grupo de realizadores, argumentistas e atores portugueses estão fazer pequenas curtas-metragens em videochamadas, no Instagram (@chamadasparaaquarentena), que vale a pena ver pela desenvoltura narrativa e que retratam situações sobre a quarentena que podiam ser reais.

Em Chamadas para a Quarentena, um grupo de criativos da nova ficção nacional — a propósito a não perder A Espia, logo à noite e nas próximas semanas na RTP1, às 21h30 — decidiram produzir de forma gratuita uma série de curtas-metragens em videochamadas, e em formato IGTV, no Instagram (@chamadasparaaquarentena). Trata-se de um projeto lançado a 22 de março e que tem passado algo despercebido dos grandes media, certamente mais ocupados com as notícias sobre a evolução do Covid-19. Chamadas para a Quarentena é uma ideia dos argumentistas Artur Ribeiro, Filipe Homem Fonseca, Luís Filipe Borges, Nuno Duarte e Tiago R. Santos, e que que conta com a colaboração de atores como Paula Lobo Antunes, Jorge Corrula, João Catarré, Manuela Couto e Teresa Tavares, Paulo Pires e Heitor Lourenço, Mariana Monteiro e João Craveiro, Raquel Oliveira, Rodrigo Tomás João Cachola, entre outros.

Chamadas Para A Quarentena
‘Na Casa do Ex’, de Filipe Homem Fonseca, com Paula Lobo Antunes, Jorge Corrula e João Catarré

Para aliviar o nosso distanciamento social da família ou dos amigos ou mesmo para trabalhar como é o caso de muitas pessoas que estão activas em casa, estão a usar com mais frequência, as várias aplicações de videochamadas disponíveis (Zoom, Skype, Facetime, etc.) e talvez menos, até por falta de motivos, para tal devido ao confinamento, as redes sociais. Curioso é que muitas pessoas, para além de terem sido remetidas ao ‘teletrabalho’ nunca tinham experimentado estes dispositivo de interacção e comunicação com os outros, através da imagem, da possibilidade de nos vermos-mos uns aos outros e até representar, se nos apetecer. Se as videochamadas, passaram a fazer parte do nosso quotidiano (talvez até venham a fazer muito mais, num futuro muito próximo) é natural também que a ficção audiovisual que está a ser produzida neste momento, apesar de escassa, adopte este tipo de ‘narrativa’ e formato. ‘Chamadas para a Quarentena’, são pequenos episódios (cerca de 5 minutos), que nos mostram situações muito simples, com duas pessoas em videochamada, durante este confinamento social.

VÊ ‘NA CASA DO EX’, EPISÓDIO 4

Os protagonistas são dois namorados, dois amigos ou amigas, uma psicóloga e a sua paciente. Cada um na sua casa ligados por uma videochamada. São conversas e situações banais da vida, como por exemplo ‘Na Casa do Ex’, onde Carla (Paula Lobo Antunes), que está com um novo relacionamento, vai buscar coisas à antiga casa, o seu ex, Gaspar (Jorge Corrula) que acaba de chegar de Itália. Para não arriscar contaminar as pessoas na rua ou novo namorado, Carla fica confinada ao isolamento com o seu ex. Quem não gosta é Vicente (João Catarré), o seu namorado atual; ou um dos últimos episódios e o mais recente que vi (que me foi enviada pelo realizador Artur Ribeiro), intitulado, ’Enquanto os Homens os Homens Vão à Bola’, uma história de traição e adultério entre amigos, que termina de uma forma um tanto inesperada, que faz lembrar as peças ‘A Verdade/A Mentira’, de Florian Zeller, que estiveram em cena no Teatro Aberto e que aliás estão disponíveis no seu site para visionamento livre. Mas há mais filmes e com títulos bem apelativos como: ‘Aos Extraterrestres Que Se Perderam Pelo Caminho’, ‘O Que Calçar no Confessionário?’, ‘O Mestre da Solidão’ ou ‘A Ninja do Isolamento’. O resultado é uma divertida e original experiência de cinema, que combina o melhor da nova ficção portuguesa, com as aplicações digitais em tempo de distanciamento social. Diz-se que as ameaças criam as oportunidades ou a necessidade aguça o engenho (ou a criatividade). E para que todos não percam a forma como os atletas, espectadores e artistas, aqui está um programa de treinos, no que diz respeito às novas ‘formas de ver’ cinema. ‘Chamadas para a Quarentena’, aparecem todos os dias ao ritmo de um episódio, é mais uma das muitas propostas que vão ocupando os nossos dias da quarentena e que vão deixar certamente todos os ‘seguidores’ na expectativa, para ver os rostos que vão aparecer por detrás de cada videochamada, em exclusivo no Instagram.

José Vieira Mendes

José Vieira Mendes

Jornalista, crítico de cinema e programador. Licenciado em Comunicação Social, e pós-graduado em Produção de Televisão, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É actualmente Editor da Magazine.HD (www.magazine-hd.com). Foi Director da ‘Premiere’ (1999 a 2010). Colaborou no blog ‘Imagens de Fundo’, do Final Cut/Visão JL , no Jornal de Letras e na Visão. Foi apresentador das ‘Noites de Cinema’, na RTP Memória e comentador no Bom Dia Portugal, da RTP1.  Realizou os documentários: ‘Gerações Curtas!?’ (2012);  ‘Ó Pai O Que É a Crise?’ (2012); ‘as memórias não se apagam’  (2014) e 'Mar Urbano Lisboa (2019). Foi programador do ciclo ‘Pontes para Istambul’ (2010),‘Turkey: The Missing Star Lisbon’ (2012), Mostras de Cinema da América Latina (2010 e 2011), 'Vamos fazer Rir a Europa', (2014), Mostra de Cinema Dominicano, (2014) e Cine Atlântico, Terceira, Açores desde 2016, até actualidade. Foi Director de Programação do Cine’Eco—Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela de 2012 a 2019. É membro da FIPRESCI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *