Os Gatos Não Têm Vertigens

Filmes a não perder na Cinemateca Portuguesa em julho (parte 2)

Eis a nossa recomendação, dos grandes filmes que serão exibidos na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, no sétimo mês de 2018. 

1 de 16

Agora que já chegou o verão, e podes aproveitar mais e melhor o teu tempo livre, damos-te a conhecer vários filmes que serão exibidos na Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema em julho. Neste mês, o instituto continua o especial sobre António-Pedro Vasconcelos, com o ciclo a ser titulado com o nome do próprio realizador reconhecidíssimo do público português. “Aqui D’El Rei!” (1991), “Os Imortais” (2003) e “Call Girl” (2007) são alguns dos seus filmes exibidos.

Segue-se o ciclo “Cem Anos do Cinema Polaco”, que celebra os nomes mais emblemáticos vindos do país da Europa Central. Andrzej Wajda, Andrzej Munk, Krzysztof Zanussi, Roman Polanski, Jerzy Skolimowsky, Krzysztof Kieslowski, mas não só, são alguns dos nomes escolhidos para abordagem deste ciclo. Outro ciclo, e talvez aquele que recebe mais atenção, é designado “Feios, Porcos e Maus: Um Olhar Europeu”, numa referência óbvia ao filme “Brutti, Sporchi e Cattivi” (Ettore Scola, 1976) que será projectado pela primeira vez na Cinemateca Portuguesa. No ciclo os filmes italianos são uma constante, com os nomes de Luigi Comencini ou de Mario Monicelli. Segundo o instituto,

Este é um Ciclo, também, que, pegando no que fora proposto em “American Way of Life: Vidas em Crise”, exibido em fevereiro deste ano, olha, desta vez, para a mesma época no cinema europeu e, particularmente, para realizadores e intérpretes cuja reavaliação se torna urgente perante nomes ou filmes canónicos da história do cinema.

E enquanto a Cinemateca Portuguesa não vai de férias (para quem não sabe as salas de cinema estão fechadas em agosto para descanso), o cinema volta à Esplanada do espaço. Nas noites de sexta-feira e de sábado o cinema faz-se ao ar livre, onde o público poderá sentir o cinema em projeções ao bom estilo clássico, com cópias de 35mm. “Bringing Up Baby” ou “Duas Feras” abre este ciclo. Este é o filme rodado no pós-segunda guerra mundial, que queria porventura trazer de volta o riso nos espectadores. Realizado por Howard Hawks, “Duas Feras” conta com duas das maiores estrelas do cinema de Hollywood de sempre: a mítica Katherine Hepburn e o transparente, embora versátil, Cary Grant.

“César et Rosalie”, F.R. 16-7-15h30

Cinemateca Portuguesa
Cesar et Rosalie

Nova colaboração de Sautet com Romy Schneider, com quem faria vários filmes, juntando-a, desta vez, a Yves Montand, outro rosto do cinema do realizador francês. Na veia dos seus filmes da década de setenta, CÉSAR ET ROSALIE concentra–se na apaixonada e tumultuosa relação de amor entre um casal e um terceiro elemento, antiga paixão da personagem de Schneider. Um olhar comovente, mais uma vez, sobre os sentimentos dilacerantes que existem num grupo de pessoas da classe-média francesa, nos anos Pompidou, nas suas famílias, e em relações que teimam em morrer e renascer. A apresentar em cópia digital.

1 de 16

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *