Como ser um Super-Herói ? (parte I)

 

Estamos no ano do regresso de Vingadores e Star Wars, do reboot de Fantastic 4 e da estreia de Homem-Formiga. Em 2016 ainda mais virão.

Esta é uma era especialmente atribulada no que respeita à representação cinematográfica de toda uma mitologia de super-heróis que vem habitando o nosso mais fantástico imaginário desde que, pela primeira vez que com um deles tomámos contacto, acreditámos do alto dos nossos cinco ou seis anos que éramos também diferentes e que por isso deveríamos ter um poder escondido que mais ninguém no mundo tinha – sim, bem sabemos que passaram dias à espera que a vossa coruja chegasse com a vossa inscrição em Hogwarts ou que fazendo força desmesurada com os punhos vos transformaria em Super Saiyan.

O que hoje vos trazemos é a realização de um sonho de criança… ou talvez apenas um artigo de elevado grau de palermice. De qualquer das formas, apresentamos o guia essencial de “Como ser um Super-Herói?”, de acordo com o Cinema, e que desvenda todos os segredos desta ‘arte’ oculta e fantástica.

 

 1. HISTÓRIA DE ORIGEM

historiaorigem

Se pensarem na carreira cinematográfica dos super-heróis, verificarão que, a certa altura, quase todos eles tiveram direito a uma rendição no grande ecrã que dá luz sobre as suas origens misteriosas. Desta forma é crucial que também todos vocês, que almejam ser um super-herói, tenham o vosso backgroud de acordo. Alguns lugares comuns incluem infâncias infelizes, capacidades de interação social nulas ou o facto de ter presenciado a morte de alguém próximo pelas mãos do crime. Mas como aqui não queremos desgraças para ninguém, sugerimos histórias mais simples, como “era uma pessoa normal mas fui picado por uma alforreca mutante e agora cresceram-me barbas gelatinosas que eliminam qualquer adversário”. O que nos leva ao próximo e crucial ponto…

 

2. PODERES

poderes

Este é um momento-chave no vosso treino. Se querem ser um verdadeiro super-herói têm de ter um poder especial… senão são só um herói, e, convenhamos, isso não tem tanta piada.

Infelizmente, ter poderes não é fácil, e há apenas três maneiras básicas de o conseguir: ou nascemos com eles (ex. Super-Homem, X-Men), 2º ou os obtemos devido a algum acontecimento cientificamente surreal e inimaginavelmente doloroso (ex. Homem-Aranha, Hulk, Capitão América), 3º ou somos ricos e construímos/mandamos construir o gadget mais cool de sempre, cuja tecnologia de alguma forma está anos-luz à frente das descobertas dos maiores cientistas da actualidade. Porque a 1ª opção me parece pouco viável a menos que tenham uma nave espacial escondida na garagem e porque também não me responsabilizo por acidentes domésticos decorrentes da 2ª, parece que só nos resta a 3ª. E se estão com pressa, das duas uma: ou têm uma choruda herança à vossa espera, ou é melhor começarem a fazer mezinhas com promessas para ganharem o euro-milhões. Ficamos a torcer por vocês.

De qualquer forma, e se querem uma ajuda a decidir o poder (ou poderes) que querem adoptar, deixamo-vos uma lista de alguns dos mais comuns, e dos mais estranhos.

 

Poderes Mainstream

 – Voar

 – Super-força

 – Prever o Futuro

 – Assumir diferentes formas/corpos

 – Elasticidade

 – Telecinese

 – Invisibilidade

 – Regeneração Celular

 – Rapidez

 – Controlo de um dos cinco elementos (fogo, por exemplo)

 

Poderes Palermas, mas que na verdade existem

 – O poder de comer tudo, incluindo ferro, plástico, etc – Matter-Eater Lad (DC Comics)

 – O poder de se trasnformar num disco voador – Fatman, the humanflying saucer (Lightning Comics)

 – O poder de arrancar os membros e utilizá-los como marreta ou objecto de arremesso- Splitter/Arm Fall Off Boy (DC Comics)

 – O poder de mudar as cores das coisas – Color Kid (DC Comics)

 – O poder de transformar som em luzes fortes – Dazzler (Marvel)

 – O poder de se transformar em qualquer tipo de gelado – Eye Scream (Marvel)

 – O poder de transpirar ácido – The Anarchist (Marvel)

 – O poder francês, que muitas vezes se traduz em espancamentos por meio de baguetes – Jean de Baton Baton (DC Comics)

 – O poder de atirar pessoas pela janela (porque transporta sempre uma consigo) – The Defenestrator (DC Comics)

 

3. ESTAR EM FORMA

emforma

Se pensavam que este guia vos ensinava a ser um super-herói sem terem de passar umas boas horas a transpirar no ginásio, estão redondamente enganados. Porque mesmo que nascessem abençoados com um dom, não iam querer que aquela gordura marota aparecesse entre a vossa indumentária, certo? As batatas fritas e bolachas de chocolate têm de ser varridas do sistema, pelo que a motivação e força de vontade são elementos chave no vosso treino. Aconselha-se ainda, especialmente se não dispuserem de um super-poder que envolva força e que por isso não necessite mais do que um soco na boca para deixar os inimigos K.O, que aprendam algum tipo de arte marcial mista. Não só vos ajudará a derrotar os vossos oponentes com mais eficácia como serão capazes de golpes muito mais elegantes para o noticiário das oito.

 

Consultem aqui o Calendário de Filmes de Super Heróis até 2020

 

 4. FATO

super-herói

Temos de enfrentar a dura realidade: este é um mundo que dá extrema importância aos outfits de cada dia, especialmente de quem vai estar exposto, digamos, em capas de jornal a salvar velhinhas em apuros. Se tinham pensado numas confortáveis calças de fato de treino, uns ténis velhos e um casaco de capucho, tirem daí a ideia – até porque podiam acabar a ser confundidos com um ladrão de rua e ainda levavam umas pancadas por engano. O ideal é que a vossa indumentária seja algo desconfortável à vista, e também para vocês, mas que ninguém fale sobre isso. Nos homens é obrigatório que permita boa visualização dos abdominais e nas mulheres há uma de duas opções: ou um fatinho justo ao corpo, ou saias curtas acompanhadas de grandes decotes. Em ambos os casos, a licra é sempre uma boa opção, mas se dispuserem do super-poder da riqueza ou da sabedoria tecnológica, podem sempre almejar algo que vos proteja ativamente as partes mais sensíveis e que seja bem pesado – ou acham que o fato do Homem de Ferro é uma pluma?

A questão da capa é muito importante neste tema, pelo que há que pesar os prós e contras: se por um lado fica sempre bem numa foto no topo de um edifício ao por do sol e incrementa a taxa de fanfarronice, por outro também pode ter o triste inconveniente de ficar presa em escadas rolantes, ou arames, ou qualquer coisa do género.

Pensando bem, é melhor arranjarem também um super-poder para aprenderem a coser o vosso próprio fato,  ou mantenham um designer famoso no topo da lista de contactos, senão, são capazes de estar metidos num sarilho. É que o alfaiate comum é capaz de estranhar quando vir o fato que criou nas capas de jornais de todo o mundo.

NOTA IMPORTANTE: ganham pontos extra se o vosso disfarce conseguir ser usado debaixo do vestuário comum do dia-a-dia; afinal, o crime não espera que vão a casa trocar de roupa.

 

5. SÍMBOLO

super-herói

Um super-herói que se preze tem de ter um símbolo que o represente que tem de obedecer a três regras:

  • 1º tem de ser esteticamente confluente com o resto da indumentário;
  • 2º tem de ser suficientemente diferente dos símbolos que representam os heróis já existentes (nada de letras ou bicharocos tipo aranhas);
  • 3º e mais importante, tem de dar uma boa t-shirt – um herói não é digno desse nome se não puder resultar num tsunami de merchandising que vá desde as comuns t-shirts às hediondas lancheiras escolares que transportam leitinhos com chocolate, sandes de mortadela e cromos para troca troca.

 

PARTE 2 »»

Catarina Oliveira

Licenciada em Ciências da Comunicação e com formação complementar em Design Gráfico, além de editora e diretora criativa da MHD é também uma das sócias fundadoras da mais recente face da empresa. Colaboradora de Cinema na Vogue Portugal. Gestora de conteúdo na Lava Surf Culture e NOS Empresas - Criar uma Empresa. Autora do blog de Cinema Close-Up.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *