Gus Van Sant

Entrevista EXCLUSIVA MHD a Gus Van Sant sobre Não Te Preocupes, Não Irá Longe a Pé

1 de 3

“Não Te Preocupes, Não Irá Longe a Pé” é o novo filme do realizador Gus Van Sant, um biopic sobre o famoso cartunista norte-americano John Callahan, que conta com uma fabulosa interpretação de Joaquin Phoenix. Gus Van Sant, conta tudo aqui, em entrevista à MHD.

Este longo título “Não Te Preocupes, Não Irá Longe a Pé”, parece ter sido um bom pretexto para o realizador Gus Van Sant (n.1952, Louisville, Kentucky, EUA) voltar a filmar em Portland, Oregon — um regresso às origens de “No Trilho da Droga”, (1989) — e realizar este inspirado biopic baseado nas memórias do controverso cartunista John Callahan; e, logo para um papel bem à medida do actor Joaquin Phoenix. Para um pequeno filme independente — com a assinatura da Amazon Studios — Van Sant conseguiu, além de Phoenix a participação de um elenco de luxo: Jonah Hill, Rooney Mara, Jack Black. No final dos créditos aparece ainda um surpreendente agradecimento a Robin Williams: o malogrado actor comprou os direitos do livro de Callahan, para fazer mais um projecto com Gus Van Sant, depois de “O Bom Rebelde” (1997). Apesar de terem começado a trabalhar no argumento em conjunto Williams, mas faleceu em 2014. Pelo menos não ficamos a perder no protagonista, pois Joaquin Phoenix faz uma das melhores e mais maduras interpretações da sua carreira, que lhe pode dar inclusive uma nomeação para os Óscares do próximo ano.

Tantas coisas foram estranhamente homogeneizadas. Eu não sei se isso é bom ou mau. De certeza que, digamos há 15 anos, Portland era uma espécie de refúgio. […] Agora o mundo parece não ter refúgios.

Não Te Preocupes, Não Irá Longe A Pé
Não Te Preocupes, Não Irá Longe A Pé

“Não Te Preocupes, Não Irá Longe a Pé” conta a história de John (Joaquin Phoenix) um tipo com uma inclinação para as piadas sarcásticas e estúpidas e sobretudo para a bebida. É então, que encontra numa festa Dexter (Jack Black), que lhe sugere que passem o resto da louca noite de copos em Los Angeles, algo que John não consegue obviamente recusar. Depois de adormecer no assento do lado do condutor, completamente bêbado, John acorda tetraplégico na manhã seguinte no hospital, devido a um acidente de viação. A partir daí, e aos 21 anos, John fica numa cadeira de rodas para o resto da vida, e começa a ser-lhe posto a prova, cada gota do seu raro sentido de humor, como forma de ultrapassar o seu azar e redescobrir um novo significado para a sua existência. John é ajudado por Annu (Rooney Mara), que traz de volta à sua luxúria para a vida — numa história de amor um tanto improvável —, bem como por Donny (Jonah Hill), um hippie já fora de tempo, cujas as reuniões que dirige nos Alcoólicos Anónimos, não são muito convencionais. Mas encontram-se lá pessoas com uma diversidade de experiências, que ajudam John a ter uma perspectiva diferente da vida. E assim ele descobre a beleza e o humor nas profundezas da experiência humana, usando o seu talento artístico para transformar essas descobertas, em caricaturas brilhantemente bem observadas, que pouco a pouco vai conseguindo vender para importantes revistas como a Penthouse.

Lê Também:
Nunca Estiveste Aqui, em análise

Nesta aparente reminiscência de “American Splendor”, filme dirigido por Shari Springer Berman e Robert Pulcini de 2004, a propósito do cartunista Harvey Parker, Gus van Sant mostra neste seu novo filme sobre a cultura dos comics, também muitas das sarcásticas caricaturas de Callahan, em movimento. Van Sant trabalhou com o director de fotografia Christopher Blauvelt e com o compositor Danny Elfman, para destacar e reforçar o incrível trabalho e as dificuldades que John Callahan tem de aguentar para se afirmar profissionalmente, recuperar a alegria de viver e ter controlo sobre a sua vida. “Não Te Preocupes, Não Irá Longe a Pé”, não é apenas um filme sobre a vontade de superar as reviravoltas inesperadas da vida. É também um excelente retrato ficcional e melancólico, ainda que esperançoso, sobre a vida, mesmo que esta se vá desenrolando às custas das limitações do cartunista John Callahan, falecido em 2010 aos 59 anos. Como na maioria dos seus filmes, em “Não Te Preocupes, Não Irá Longe a Pé”, Gus Van Sant aborda novamente as questões da busca de identidade, na abordagem das sub-culturas, na intimidade de vidas de pessoas pouco comuns. E conta-nos isso tudo e muito mais nesta entrevista cedida em exclusivo à MHD.

CONTINUA EM:

1 de 3

João Fernandes

Licenciado em Cinema, venerador de banda desenhada, fotografia e videojogos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *