Festa do Cinema Italiano

12ª Festa do Cinema Italiano | Palmarés e conclusões

Em Lisboa, a 12ª Festa do Cinema Italiano já se deu por encerrada, sendo que os prémios da competição já foram entregues e agora o festival parte para outras zonas do país.

De 5 a 12 de abril, a Festa do Cinema Italiano trouxe o melhor cinema de Itália à capital portuguesa, assim como muitos dos nomes mais áureos da indústria cinematográfica dessa nação mediterrânica. Tudo começou com a chegada de uma versão restaurada de “O Carteiro de Pablo Neruda” às salas de cinema portuguesas, o início de uma retrospetiva de Nani Moretti na Cinemateca e uma grande cerimónia de abertura no São Jorge, onde “Noites Mágicas” de Paolo Virzi teve a sua muito aguardada ante-estreia. Este filme, que oficialmente deu início às festividades, é uma meditação sobre a História do Cinema Italiano, focando-se nas vidas de três argumentistas suspeitos de terem assassinado um produtor cinematográfico nos anos 90.

“Noite Mágicas” estreia já nos cinemas portugueses dia 18 de abril e não é o único filme da Festa do Cinema Italiano a ser prontamente disponibilizado ao público português fora do contexto do festival. “Lúcia Cheia de Graça” foi exibido nas festividades e estreia nos cinemas portugueses em maio. Trata-se de uma divertida comédia dramática sobre uma mãe solteira que, a meio de uma fase muito atribulada da vida, se vê confrontada com a aparição da Virgem Maria. Alba Rohrwacher dá vida à personagem principal e, como sempre, oferece aos espectadores uma esplendorosa prestação que justifica o seu estatuto como uma das atrizes italianas mais aclamadas do momento.

festa do cinema italiano
FIGLIA MIGLIA foi o grande vencedor da Festa do Cinema Italiano.

Note-se como Rohrwacher também é uma das protagonistas de “Figlia Mia”, o filme de Laura Bispuri que ganhou o Prémio do Júri nesta Festa do Cinema Italiano. Ana Cabral Martins e Marco Martins justificaram a sua escolha dizendo: “pelo retrato de uma Sardenha quase selvagem e de uma criança perdida entre duas mulheres. Há extraordinárias interpretações neste filme poético e pungente que, sem sentimentalismo, coloca questões essenciais sobre a natureza das relações maternas e dos laços familiares. Destaque especial às atrizes principais, Alba Rohrwacher e Valeria Golino, pelo seu talento e pela força das suas representações; e à fotografia, que nos mostra a beleza das paisagens áridas da Sardenha”.

Assim, este melodrama à moda italiana triunfando sobre outros bons projetos como o drama da máfia “La Terra dell’Abbastanza” e a comédia inventiva sobre um casal de duas mulheres a tentar engravidar “Mamma + Mamma”. Ainda dentro da secção competitiva, convém dizer que “Bangla”, uma comédia romântica multicultural, valeu ao cineasta Phaim Bhuiyan o galardão do Público, que foi votado pelas audiências que foram à Festa do Cinema Italiano e avaliaram os filmes após o seu visionamento. A honra de Bhuiyan é particularmente valiosa nesta 12ª edição da Festa do Cinema Italiano, pois esta iniciativa nunca antes teve tantos espectadores.

Lê Também:
A Volta ao Mundo em 80 Filmes

Só em Lisboa, mais de 15 000 pessoas foram aos cinemas ver o melhor cinema que Itália tem para oferecer, Esses números nem consideram as receitas do último dia, quando “Figlia Mia” e “Bangla” foram premiados, a atriz Valeria Golino mostrou seus talentos enquanto realizadora com “Euforia”, o filme de encerramento, e o público pode ver, pela segunda vez, a produção mais cara na História recente da indústria cinematográfica italiana, “Il Primo Re”. Essa superprodução conta uma versão híper violenta do mito da fundação de Roma que assim parece uma temporada perdida de “Game of Thrones” falada em latim pré-romano.

O realizador Matteo Rovere e o ator Alessandro Borghi que colaboraram em “Il Primo Re”, foram dois dos muitos convidados ilustres a marcar presença em Lisboa para as festividades. Borghi, que recentemente ganhou o Prémio Davi di Donatello para Melhor Ator, apresentou mais dois filmes ainda, “Napoli Velata” de Ferzan Ozpetek e “Sulla mia pelle” de Alessio Cremonini. Infelizmente esta vertente da Festa onde convidados vão apresentar suas obras e dialogar com os espectadores é meio exclusiva das atividades em Lisboa. Mesmo assim, a Festa do Cinema Italiano também já passou pelo Porto, Coimbra, Almada, Setúbal, Alverca do Ribatejo, Penafiel, Moscavide e por Aveiro. Até setembro, a festa vai ainda continuar por muitas outras partes do país, incluindo Abrantes, Beja, Évora, Tomar, Caldas da Rainha, Loulé, Funchal, Angra do Heroísmo, Santa Cruz da Graciosa e outras. Entretanto, na Cinemateca, a retrospetiva Moretti continua até ao fim de abril.

festa do cinema italiano
IL PRIMO RE é uma superprodução à la Game of Thrones.

Para saberes mais sobre esta edição da Festa do Cinema Italiano e sua futura viagem de norte a sul de Portugal, consulta o site oficial. Não percas esta oportunidade de ver o melhor cinema que Itália tem para oferecer.

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *