Metri Shesho Nim (Just 6.5) © Festival Scope

Festival de Veneza | Filmes disponíveis no Festival Scope

O Web Theatre do Festival Scope está de volta com algumas das obras apresentadas no Festival de Veneza, descobre mais não só sobre os títulos a que terás acesso, como sobre a plataforma em que os poderás ver. 

Uma seleção de seis longas-metragens do Out of Competition, do Orizzonti, e do Sconfini compõem o Web Theatre da mais recente edição do Festival de Veneza, dirigido por Alberto Barbera e organizado pela La Biennale di Venezia, atualmente dirigida por ​Paolo Baratta.

1 de 6

A iniciativa dá-te a oportunidade de ver em casa alguns dos filmes oficialmente selecionados pelo Festival de Veneza, isto através da plataforma do Festival Scope. Cada filme pode ser visto por até 1000 pessoas (os bilhetes e o passe já se encontram em pré-venda) e a sua estreia acontece entre os dias 29 de agosto e 19 de setembro às 21h (Portugal Continental). As obras serão apresentadas na sua versão original, com legendas em italiano e em inglês.

LES ÉPOUVANTAILS (THE SCARECROWS)

Les Épouvantails (The Scarecrows)
Les Épouvantails (The Scarecrows) © Festival Scope

O filme de Nouri Bouzid é uma co-prodição entre a Tunísia, Marrocos, e o Luxemburgo, tendo como data de estreia 29 de agosto. Protagonizado por Nour Hajri, Afef Ben Mahmoud, e Joumen Limam, o filme segue um rapto que durou meses e que foi agravado por tortura e violência. Zina e Djo conseguem fugir mas continuam a ter de enfrentar um grande desafio: Zino não sabe onde está a sua filha de dois anos e Djo está grávida e muda (usando papel para descrever os horrores que viveu).

Bouzid estrou-se em 1985 com L’homme des cendres (Man of Ashes) no Un Certain Regard do Festival de Cannes. Outras obras do realizador, incluem “Golden Horseshoes” (1988), “Bent familia” (1997), “Poupées d’argile” (“Clay Dolls”, 2002), “Making Of” (2006), e “Millefeuille” (2012). No Veneza o cineasta já apresentou uma curta-metragem (“Sekatat Sherazade an el kalam”) parte da antologia “La guerra del Golfo… e dopo (1991)”, e uma longa intitulada “Bent familia” (“La figlia di buona famiglia”).

1 de 6

Ângela Costa

Mestre em Cinema pela Universidade da Beira-Interior, sou apaixonada pelo cinema japonês e toda a cultura que o envolve. Adoro igualmente fotografia e se tiveres curiosidade passa no meu Instagram ;) Música e videojogos são dois outros grandes interesses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *