Judaica – Mostra de Cinema e Cultura muda-se para Cascais

Depois de mais uma edição em Lisboa, é a vez da cidade de Cascais receber pela primeira vez o festival de cinema Judaica, entre os dias 8 e 10 de abril. 

 

O principal destaque do festival em Cascais é a estreia nacional do documentário, da jornalista austríaca Uli Jürgens, O Cônsul Desobediente – Exílio em Portugal, dedicado a Aristides de Sousa Mendes. O filme pode ser vista na sessão de abertura da Judaica – Mostra de Cinema e Cultura, onde irá estar a a realizadora para um debate.

Lê também: Depois de Leonardo DiCaprio, é hora de uma previsão aos Óscares 2017

A programação é marcada pelas questões da sobrevivência e do exílio e pela referência a figuras heróicas. Desta forma é de salientar o filme A Queda de Grüninger, longa-metragem que conta a história de um comandante da polícia que arriscou a vida e a carreira para salvar milhares de judeus.

Para a sessão de encerramento está guardada a ante-estreia de Fritz Bauer – Agenda Secreta, um thriller histórico que narra os esforços levados a cabo por este delegado do Ministério Público alemão, para encontrar, prender e julgar vários criminosos nazis.

Consulta ainda: Calendário | Festivais de Cinema 2016

judaica
Fritz Bauer – Agenda Secreta

Já fora do grande ecrã, o destaque vai para o concerto Tradição Judaica na Música Clássica. A Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, sob a batuta do maestro Nikolay Lalov, irá interpretar obras dos compositores Felix Mendelssohn, Franz Schreker, Gideon Klein, Fritz Kreisler, Gerald Finzi e George Gershwin.

Depois de Cascais, a Judaica – Mostra de Cinema e Cultura seguirá até Belmonte (14 a 16 de Abril) e Castelo de Vide (5 a 8 de Maio).

 

Programação completa de Judaica – Mostra de Cinema e Cultura em Cascais

Sexta, 8 de abril

10h – Uma Turma Difícil, de Marie-Castille Mention-Schaar (O Cinema da Villa | Sessão Escolas)

19h30 – O Cônsul Desobediente – Exílio em Portugal, de Uli Jürgens (O Cinema da Villa | Sessão de Abertura)

21h30 – Eichmann, O Espetáculo, de Paul Andrew Williams (O Cinema da Villa)

 

Sábado, 9 de abril

14h – No Salão da Fifi, de Iris Zaki (O Cinema da Villa)

14h – Festins Imaginários, de Anne Georget (O Cinema da Villa)

16h – Querido Deus, de E. Tadmor e G. Nattiv (O Cinema da Villa)

16h – A Escadalosa Sophie Tucker, de William Gazecki (O Cinema da Villa)

18h – Exílio e Identidade (O Cinema da Villa | Sessão Especial)

19h30 – A Queda de Gruninger, de Alain Gsponer (O Cinema da Villa)

21h30 – Rabin, O Último Dia, de Amos Gitai (O Cinema da Villa)

 

Domingo, 10 de abril

11h – Que Férias, de Anne S. Lewis (O Cinema da Villa | Sessão Famílias)

11h – Na Fila por Anne Franck, de Robert Schinkel e Martijn Bink (O Cinema da Villa | Sessão Famílias)

14h – Ellis, de JR (O Cinema da Villa)

14h – Todos os Rostos Têm um Nome, de Magnus Gertten (O Cinema da Villa)

16h – O que nos Ensina o Shabbat? (Centro Cultural de Cascais | Sessão Especial)

17h – Tradição Judaica na Música Clássica (Centro Cultural de Cascais | Recital)

17h – Por uma Mulher, de Diane Kurys (O Cinema da Villa)

19h30 – O Bacon e a Ira de Deus, de Sol Friedman (O Cinema da Villa | Sessão de Encerramento)

19h30 – Fritz Bauer – Agenda Secreta, de Lars Kraume (O Cinema da Villa | Sessão de Encerramento)

 

Catarina Fernandes

Mestre em Ciências da Comunicação e fotógrafa amadora. Seriófila compulsiva e apaixonada por literatura, assim como pelo cinema e pela sua história. (Extremamente) Viciada em música e concertos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *