Kirk Douglas em "Paths of Glory" | © 1957 - MGM

Kirk Douglas, lenda de Hollywood, morre aos 103 anos de idade

Kirk Douglas, uma das lendas de Hollywood, da geração de ouro, morreu os 103 anos de idade. Um ícone da indústria, deixa um legado com mais de 90 créditos em projectos cinematográficos.

Kirk Douglas, uma lenda de Hollywood, e um dos ícones da chamada época de ouro da sétima arte, morreu aos 103 anos de idade. A notícia do falecimento da estrela de “Spartacus” foi dada pelo seu filho Michael Douglas, num post de instagram na passada noite de quarta-feira.

No emotivo post, Michael fala brevemente sobre a sua imagem pública e realça a sua postura enquanto homem de família.

É com tremenda tristeza que os meus irmãos e eu anunciamos que Kirk Douglas nos deixou hoje aos 103 anos. Para o mundo, ele era uma lenda, um actor da idade de ouro dos filmes, que viveu até aos seus anos dourados, um humanitário cujo compromisso com a justiça e com as causas em que ele acreditava estabeleceram um padrão a que todos nós aspiramos.

Mas para mim e para os meus irmãos, Joel e Peter, ele era simplesmente o nosso pai, para a Catherine, um maravilhoso sogro, para os seus netos e bisneto, o seu avô amoroso, e para a sua esposa Anne, um marido maravilhoso.

A vida de Kirk foi bem vivida, e ele deixa um legado no cinema que perdurará pelas próximas gerações, e uma história como um filantropo de renome que trabalhou para ajudar o público e trazer a paz ao planeta.

Deixem-me terminar com as palavras que lhe disse no seu último aniversário e que permanecerão verdadeiras para sempre. ‘Pai – eu amo-te muito e tenho muito orgulho em ser teu filho.’

Lê Também:
40 celebridades inesquecíveis com 90 anos ou mais em 2020

Kirk Douglas, filho de imigrantes russo-judeus e nascido Issur Danielovitch Demsky, trabalhou desde muito cedo para chegar à carreira cinematográfica que hoje conhecemos. O próprio actor admitiu em tempos que estimava ter tido mais de 40 trabalhos até conseguir alcançar o estrelato enquanto protagonista de filmes. Com várias obras no seu currículo, tornou-se um ícone, apesar de, e segundo palavras do próprio, ter feito grande parte da sua carreira a interpretar personagens de carácter difícil.

A sua grande estreia nos ecrãs foi em 1946, com “The Strange Love of Martha Ivers”, mas foi com o filme de culto “Out of the Past”, onde contracenou com Robert Mitchum e Jane Greer, que conseguiu provar o seu talento a Hollywood e aos fãs do cinema. Desde aí, foram vários os grandes filmes em que entrou, desde “Champion”, “Ace in the Hole”, “I Walk Alone” e “The Bad and the Beautiful”, onde o seu registo se manteve relativamente igual, até “Lust For Life”, de Vicente Mielli. Neste último, Kirk Douglas mostrou os seus dotes ao interpretar um angustiado Vincent Van Gogh, fugindo completamente à norma do seu trabalho e registo até à data.

Lê Também:
Dia Mundial do Cinema | Grandes Filmes Sobre a 7ª Arte

Ao longo da sua carreira, Kirk colocou-se também nos bastidores e fundou Byrna Productions. Por ela, foi responsável e ajudou no desenvolvimento de duas longa-metragens, talvez as que maior sucesso lhe deram, ambas realizadas por Stanley Kubrick – “Paths of Glory” e “Spartacus”.

Foi nomeado aos Óscares por três ocasiões (categoria Melhor Actor por “Champion”, “The Bad and the Beautiful” e “Lust For Life”) mas apenas conquistou um galardão da Academia em 1995, um prémio honorário. Em 1981, foi um dos galardoados com a Medalha Presidencial da Liberdade, por Jimmy Carter, e também tem uma estrela no passeio da fama de Hollywood.

A sua última aparição nos ecrãs foi em 2004, 8 anos após ter sofrido um ataque cardíaco, em “Illusion”, um drama onde interpretou um realizador em fase final de vida. Mais tarde, em Março de 2009, fez parte de um espectáculo de um homem só, “Before I Forget”, no teatro Culver em Culver City, California. Desde então tornou-se activo na redes sociais, tendo sido apelidado de blogger.

Uma lenda, já são muitos os nomes de Hollywood a prestar-lhe homenagens, de Steven Spielberg e William Shatner, a George Takei e Rob Reiner. Kirk Douglas deixa um legado no cinema com mais de 90 créditos, e a sua mulher Anne Buydens e três filhos, Michael, Joel e Peter.

Fã de Kirk Douglas? Qual o teu filme favorito da sua carreira?

Marta Kong Nunes

Arquitecta (com um c!) de formação. Coordenadora de profissão. Fanática de cinema e séries por pura paixão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *