5 álbuns a ouvir saídos hoje: Baird & Lattimore, Westerman, J Mascis e mais

Recomendamos-te os álbuns Ghost Forests, Ark EP, Elastic Days, The Fuzz e Memorial (An Accompaniment). Para que não te percas na muita música que sai todas as semanas.

1. Meg Baird & Mary Lattimore, Ghost Forests [Three Lobed]

Meg Baird, para além dos seus projetos a solo, mantém-se envolvida com as bandas Espers e Heron Oblivion. Por sua vez, Mary Lattimore é harpista de profissão. As duas encontram-se em Ghost Forests, editado pela Three Lobed. No álbum, as artistas vão explorando as suas próprias sonoridades. Dele já conhecíamos os singles “Painter of Tygers”, “Damaged Sunset” e, mais recentemente, “Between Two Worlds”. O projecto é constituído por seis composições, gravadas em janeiro deste ano, em Los Angeles.

Álbuns 09/11 | Ghost Forests

2. Westerman, Ark EP  [Blue Flowers]

Depois de virem a público singles como “Albatross“, o artista britânica lança o Ark EP via Blue Flowers. O disco é constituído por quatro faixas: “Albatross”, “Own”, “Outside Sublime” e “Ark”, que dá nome ao EP. Como disse o próprio Westerman, o EP foi todo feito “em dois ou três dias, quando estava sozinho e não conseguia dormir.”

Álbuns 09/11 | Ark  EP

3. J Mascis, Elastic Days [Sub Pop]

Elastic Days é o terceiro álbum de estúdio a solo de J Mascis. Esta nova obra do líder dos Dinosaur Jr. segue-se a Tied to a Star, de 2014. O disco, editado pela Sub Pop, foi gravado em Massachussets, nos estúdios Bisquiteen, que pertencem ao próprio. Com doze faixas constituintes, o LP conta com colaborações de Mark Mulcahi e Zoë Randell, entre outros. Grande parte da instrumentação foi também tocada pelo próprio J Mascis.

Álbuns 09/11 | Elastic Days

4. Ellis, The Fuzz  [Bandcamp]

A canadiana Linnea Siggelkow começou por tocar em várias bandas na cidade de Toronto, onde viveu durante cinco anos. The Fuzz é o seu disco de estreia como Ellis, nome do projecto que entretanto criou, depois de se mudar para Hamilton. O EP foi editado independentemente e a autora explica assim à Stereogum o título do tema titular: “”The Fuzz” é para mim um lugar metafórico. […] Muitas das canções deste EP foram compostas a partir da sensação de estar na fronteira ou de um sentimento de insegurança. [“The Fuzz”] englobava todas as canções e unia-as, como uma tentativa de sair do “fuzz” ou encontrar alguma certeza”. O single de estreia, “The Drain”, foi lançado ainda em Julho, ao qual se seguiram “What a Mess” e “Frostbite”, em setembro e outubro, respetivamente.

Álbuns 09/11 | The Fuzz

5. Respire, Memorial (An Accompaniment)

Também oriundos do Canadá, a banda de pós-tudo (como gostam de se descrever os) Respire tem marcado, com a sua família de seis elementos, uma presença na música independente desde 2013. O ano passado lançaram Dénouement. Este ano também. No entanto, desta vez só como um tema a fechar a obra. Em Memorial (An Accompaniment) a banda abandona o arco épico e a intensidade do shoegaze e do screamo que os caracterizaram até agora, abraçando as cordas e os metais. Este novo álbum destaca-se dos últimos discos por ser bastante instrumental. Totalmente, para dizer a verdade.

Álbuns 09/11 | Memorial (An Accompaniment)

Lê Também:
Buoys é o novo álbum de Panda Bear

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *