Will Smith | © Netflix

Apple compra Emancipation, com Will Smith, por valor recorde

A Apple bateu recordes no festival de Cannes. Interessada em “Emancipation”, de Antoine Fuqua e com Will Smith, pagou mais de 100 milhões de dólares!

O mercado virtual de Cannes é sempre palco de algum dos mais apetecíveis projectos cinematográficos e 2020, apesar da instabilidade sentida na indústria, não parece ser diferente. O mais recente projecto que levantou muito interesse, e que conseguiu conquistar um novo recorde na venda dos seus direitos, foi “Emancipation”, um thriller sobre a escravidão, realizado por Antoine Fuqua (“Os Sete Magníficos“).

Protagonizado por Will Smith, e com história na era da Guerra Civil, “Emancipation” foi vendido acima de uns estrondosos 100 milhões de dólares. Decidida a ficar com o filme no seu catálogo, a Apple entrou nas licitações pela longa-metragem e, apesar de não sabermos o número exacto da compra, de acordo com uma fonte do IndieWire, terá sido um valor já perto dos 105 milhões de dólares – o que a confirmar-se é de facto a maior aquisição alguma vez feita no festival.

Lê Também:
Seleção Cannes 2020 | Quem disse que não há filmes para estrear?

“Emancipation” tem argumento de Bill Collage (“Assassin’s Creed“) e centra-se na história da fuga de Peter, um escravo, aos seus inimigos nos pântanos do Louisiana, EUA, e na sua viagem até ao Norte, onde se junta ao exército da união. O filme, que tem em si muita história americana, sendo inclusive baseado numa história verídica e inspirado numa imagem real de Peter e das suas cicatrizes do tempo de escravidão, “Emancipation” é considerado um thriller de acção ao focar-se nos 10 dias de sobrevivência que Peter enfrentou após a fuga.

O interesse no filme parece ter despertado com os movimentos actuais em todo o mundo, conttra o racismo, mas Fuqua não deixa de realçar a importância da história, independentemente do presente que vivemos.

“Foi a primeira imagem viral da brutalidade da escravidão que o mundo viu. O que é interessante, quando colocamos em perspectiva com os dias de hoje e as redes sociais, e o que o mundo está a ver, novamente. Não se pode consertar o passado, mas pode-se lembrar as pessoas do passado e penso que temos de o fazer, de um modo preciso e real. Todos temos que procurar um futuro melhor para todos nós. Essa é uma das razões mais importantes para fazer as coisas agora, é mostrar a nossa história. Temos que encarar a nossa verdade antes que possamos avançar.”

Segundo o realizador, a história foi desenvolvida até à raiz, com Bill Collage, o argumentista, a fazer pesquisa de documentos históricos e a utilizar o diário do próprio Peter, que dá origem ao filme. É expectável que a produção de “Emancipation”, com Will Smith, comece apenas em 2021.

Parece-te que a aquisição da Apple foi influenciada pela situação actual do mundo?

Marta Kong Nunes

Arquitecta (com um c!) de formação. Coordenadora de profissão. Fanática de cinema e séries por pura paixão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *