Doutor Estranho entre os candidatos ao Óscar de Efeitos Visuais

Doutor Estranho, Rogue One e O Livro da Selva são alguns dos vinte candidatos ao óscar de Melhores Efeitos Visuais, uma lista com consideráveis surpresas.

 

Doutor Estranho Oscar Efeitos Visuais
Os caleidoscópios urbanos de Doutor Estranho podem vir a valer à Marvel o seu primeiro Óscar nesta categoria

 

Todos os anos, a Academia de Hollywood divulga várias listas preliminares onde são apresentados os filmes que serão tidos em consideração para certas categorias dos óscares. Temos, por exemplo, listas destas para melhor caracterização, filme estrangeiro, documentário, as várias categorias de curtas-metragens, banda-sonora e canção original assim como efeitos visuais. A mais recente lista divulgada diz respeito a esse último prémio e, como já é habitual, existem umas quantas surpresas.

Lê Também: Doutor Estranho, em análise

Começando pelo que não é, de todo, surpreendente, as grandes produções de ação do ano, como Rogue One, Doutor Estranho, Esquadrão Suicida, Capitão América: Guerra Civil, entre outros, estão, na sua maioria, representados aqui. A presença de Deadpool é de particular destaque pois, como foi muito publicitado aquando da estreia mundial do filme, esta foi uma produção com um orçamento relativamente baixo se a compararmos com outros projetos de super-heróis. Felizmente, para os cineastas e para as audiências, a equipa de efeitos visuais conseguiu tecer milagres a partir dos seus meios limitados e, mesmo que uma nomeação pareça pouco provável, a sua presença nesta lista já um grande reconhecimento.

 

Rogue One
Alguns efeitos da trilogia original Star Wars são reinventados com novas tecnologias em Rogue One

 

Outros filmes que não tiveram tanta sorte foram A Lenda de Tarzan, cujos gorilas pouco convincentes devem ser a causa da sua ausência, O Caçador e a Rainha do Gelo, A Lenda do Dragão e Sete Minutos Depois da Meia-Noite. A omissão deste último título é particularmente estranha e notória, considerando que vem no seguimento de uma nomeação ao Critic’s Choice Award para Melhores Efeitos Visuais.

Lê Ainda: Depois de Leonardo DiCaprio, é hora de uma previsão aos Óscares 2017

Mas as surpresas não se restringiram somente às omissões. Uma breve vista de olhos pela lista de 20 títulos depressa revela um filme que se destaca de todos os outros. Estamos, é claro, a falar de Kubo e as Duas Cordas, que, sendo um filme de animação, já tinha há muito sido descartado como um viável candidato a este galardão. Felizmente, a Academia parece estar a abandonar pontos de vista retrógrados e basta olhar para os numerosos vídeos de making off para nos apercebermos dos milagres de engenharia física mesclada de magia digital que foram empregues para concretizar as avassaladoras visões desse filme.

 

kubo e as duas cordas
Será que Kubo e as Duas Cordas consegue repetir a proeza de O Estranho Mundo de Jack?

 

Apesar disso, de uma menção nesta lista até uma concreta nomeação fica uma grande distância e, infelizmente, as hipóteses de Kubo conseguir fazer o que até agora apenas foi alcançado por O Estranho Mundo de Jack (nomeado a Melhores Efeitos Visuais de 1993) parece pouco provável. Segundo a maior parte dos especialistas na matéria, O Livro da Selva, Rogue One, Doutor Estranho, Passageiros e O Primeiro Encontro são os candidatos com maiores hipóteses de chegarem ao Kodak Theatre. A verdade é que apenas saberemos com certeza em janeiro, mas, até lá, fica aqui a lista completa dos candidatos ao óscar de Melhores Efeitos Visuais.

 

O Livro da Selva
Em O Livro da Selva, apenas Mogli não foi uma criação gerada por computador

 

CANDIDATOS AO ÓSCAR DE MELHORES EFEITOS VISUAIS:

(clica nos títulos para teres acesso a alguns vídeos de behind the scenes)

 

 


Fica atento às notícias publicadas diariamente na Magazine HD para estares sempre atualizado no que diz respeito à presente Awards Season.

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *