Festival de Locarno ’16 | Observações finais

Já terminou o Festival de Locarno e agora vamos analisar o que os críticos internacionais disseram dos seus filmes e que títulos desejamos poder ver em salas nacionais.

Acabou mais uma edição do Festival de Locarno, uma celebração do cinema que, nos últimos anos, tem vindo a ganhar importância no circuito internacional dos festivais de cinema. À medida que Cannes vai perdendo respeito devido a algumas dúbias escolhas da sua seleção oficial e miopia no que diz respeito a diversidade de nacionalidades, o festival Suíço tem vindo a demarcar cada vez mais a sua importância.

 

festival locarno
Correspondências

 

Apesar de não termos estado presentes nas festividades, a Magazine HD esteve a acompanhar à distância o desenrolar do Festival de Locarno, sendo que há alguns filmes que esperamos ter oportunidade de ver em território português. Esses desejos podem ser saciados com uma passagem pelos festivais nacionais de cinema, como o LEFFEST ou o IndieLisboa, mas o ideal seria mesmo uma distribuição dos títulos em questão – algo que, na conjuntura atual, se começa a tornar cada vez mais raro para os títulos mais obscuros destes circuitos.

Lê Também: 13º IndieLisboa | Considerações finais

Em primeiro lugar estão, certamente, os filmes de origem portuguesa. Especial destaque para O Auge do Humano e O Ornitólogo que ambos saíram de Locarno com alguns troféus no seu currículo. Também há que mencionar a presença de Correspondências de Rita Azevedo Gomes na Competição Internacional. Todas essas, e outras produções, deverão ter uma certa distribuição em terras lusitanas praticamente assegurada, mas vale sempre a pena manifestar o desejo de ver este tipo de esforços cinematográficos nas salas fora do fervor dos festivais.

 

Festival de Locarno
Inimi cicatrizate

 

Fora do panorama português, existem inúmeros títulos que criam saliva na boca dos mais ávidos cinéfilos. Godless, o filme búlgaro que arrecadou o Leopardo de Ouro, é um desses projetos, tanto pelo seu troféu como pelas luminosas críticas que o acompanharam. Entre os outros filmes premiados, a nova obra do romeno Radu Jude também parece muito promissora e, se mais nada conseguir, pelo menos devemos vê-la a fazer as rondas dos festivais de cinema independente. Fiquem atentos para ver se encontram Inimi cicatrizate em alguma programação.

 

Festival de Locarno
Poesía sin Fin

 

Tal como acontece com o caso do romeno, outros grandes mestres do cinema internacional fizeram passagem por Locarno com novas obras. De todos esses filmes vamos mencionar mais dois. Ta’ang é o novo documentário de Wang Bing, um realizador chinês que se tem mostrado como um dos grandes mestres do cinema documental moderno e por isso merece a nossa indiscutível atenção. Longe da China temos Poesía sin fin, o novo projeto do surrealista chileno Alejandro Jodorowsky. Basta um relance sobre a filmografia do cineasta para um casual cinéfilo se aperceber do tipo de enlouquecida criatividade que, de modo usual, marca o seu trabalho.

Lê Ainda: Festival Scope | Filmes do Festival de Locarno podem ser vistos online

É muito bom celebrar os mestres já consagrados, mas também devemos, é evidente, dar atenção aos cineastas ainda em início de carreira. Para isso existe a secção dos Cineastas do Presente, de onde provém O Auge do Humano que já acima mencionamos e onde foram exibidos os nove filmes a que a Magazine HD teve acesso através do Festival Scope. Abaixo fica o nosso ranking desses filmes e o link para a sua análise:

 

Festival de Locarno
Viejo Calavera

 

  1. Viejo Calavera de Kiro Russo
  2. El Futuro Perfecto de Nele Wohlatz
  3. Gorge Coeur Ventre de Maud Alpi
  4. Akhdar yabes de Mohammed Hammad
  5. Mañana a esta Hora de Lina Rodriguez
  6. Pescatori di Corpi de Michele Pennetta
  7. Il Nido de Klaudia Reynick
  8. Donald Cried de Kris Avedisian
  9. L’Indomptée de Caroline Deruas-Garrel

Será preciso um milagre para estes títulos terem distribuição comercial, mas a esperança é a última a morrer e os quatro títulos do topo realmente merecem ser apreciados a uma escala maior do que tiveram até agora. Ainda dessa secção gostaríamos de referir o filme japonês Destruction Babies e The Challenge de Yuri Ancarani, dois filmes a que não tivemos acesso, mas que gostaríamos de poder apreciar nas salas de cinema.

 

Festival de Locarno
Destruction Babies

 


Fica atento a todas as novidades sobre festivais de cinema e estreias nacionais para saberes quando poderás ver um destes filmes em salas de Portugal. Não percas!


 

 

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *