IndieLisboa 2017: o programa segundo Mafalda Melo e Carlos Ramos (em video).

Os programadores Mafalda Melo e Carlos Ramos explicam, em entrevista filmada, as grandes novidades do IndieLisboa 2017, o festival que vai realizar-se de 3 a 14 de Maio e animar a capital em Maio, durante quase duas semanas.

IndieLisboa 2017

Colo, de Teresa Villaverde, é o filme da abertura do 14º IndieLisboa a 3 de Maio no Cinema São Jorge, uma abertura bem portuguesa, num festival que apresenta uma das maiores representações de sempre na competição nacional. Colo teve estreia mundial na competição da Berlinale 2017-Festival Internacional de Cinema de Berlim e tem agora a sua antestreia em Portugal. Quanto ao documentário I Am Not Your Negro, de Raoul Peck, feito a partir das crónicas históricas de James Baldwin, e que esteve igualmente na secção Panorama do festival berlinense, preencherá a sessão de encerramento do festival, a 14 de Maio no Grande Auditório da Culturgest.

Estas são algumas das novidades, entre outras que os dois programadores revelam aqui numa conversa informal, destacando além de uma extensa programação nacional e internacional de curtas, longas metragens e documentários, a abertura da renovada sala do Capitólio, no Parque Mayer, para as sessões do IndieMusic.

Quanto aos filmes de abertura interessa dizer que Colo, de Teresa Villaverde é uma profunda reflexão sobre a atualidade e sobre o nosso caminho comum nas sociedades europeias marcadas pelo isolamento e pela perplexidade perante as dificuldades da vida nas grandes cidades e no seio das famílias. O filme tem estreia prevista para breve nas salas nacionais.

IndieLisboa 2017
‘Colo’, de Teresa Villaverde é o filme de abertura.

No que diz respeito ao documentário I Am Not Your Negro de Raoul Peck, este parte de Remember This House, um ambicioso projecto de crónicas sociais de James Baldwin, que poderia ter sido um dos grandes livros sobre a história dos negros nos EUA. O documento, que serviria para contar a história dos activistas negros como Medgar Evers, Malcolm X e Martin Luther King Jr., nunca saiu da gaveta do autor, que acabaria por falecer com apenas 30 páginas escritas.

IndieLisboa 2017
‘I Am Not Your Negro’, de Raoul Peck, é o filme de encerramento.

Assim, este documentário I Am Not Your Negro, parte dessa base histórica para depois fazer uma extraordinária radiografia sobre a lutas pelos direitos civis nos EUA, problematizando ainda as questões de raça na indústria de cinema de Hollywood e na sociedade americana dos últimos 30 anos. Com narração de Samuel L. Jackson, o documentário usa as palavras originais de Baldwin e material de arquivo inédito. O filme é apresentado em ante-estreia e terá depois estreia comercial a 18 de Maio próximo.

JVM

José Vieira Mendes

Jornalista, crítico de cinema e programador. Licenciado em Comunicação Social, e pós-graduado em Produção de Televisão, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É actualmente Editor da Magazine.HD (www.magazine-hd.com). Foi Director da ‘Premiere’ (1999 a 2010). Colaborou no blog ‘Imagens de Fundo’, do Final Cut/Visão JL , no Jornal de Letras e na Visão. Foi apresentador das ‘Noites de Cinema’, na RTP Memória e comentador no Bom Dia Portugal, da RTP1.  Realizou os documentários: ‘Gerações Curtas!?’ (2012);  ‘Ó Pai O Que É a Crise?’ (2012); ‘as memórias não se apagam’  (2014) e 'Mar Urbano Lisboa (2019). Foi programador do ciclo ‘Pontes para Istambul’ (2010),‘Turkey: The Missing Star Lisbon’ (2012), Mostras de Cinema da América Latina (2010 e 2011), 'Vamos fazer Rir a Europa', (2014), Mostra de Cinema Dominicano, (2014) e Cine Atlântico, Terceira, Açores desde 2016, até actualidade. Foi Director de Programação do Cine’Eco—Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela de 2012 a 2019. É membro da FIPRESCI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *