cinema português seminci jose vieira mendes

Cinema português em destaque na SEMINCI

A 63ª edição da SEMINCI, Semana Internacional de Cinema de Valladolid, vai ter um ciclo especial dedicado ao cinema português do século XXI.

Todos os anos, a prestigiada Semana Internacional de Cinema de Valladolid tem um ciclo dedicado a um país convidado e seu cinema nacional. O ano passado foi a Islândia e este ano Portugal. Como tal, as audiências do festival terão a oportunidade de ver alguns dos grandes filmes portugueses dos últimos anos, incluindo longas-metragens de ficção, documentários e até algumas curtas muito aclamadas e até premiadas internacionalmente.

A fazer a seleção dos vários filmes portugueses em destaque esteve um dos membros da equipa MHD, José Vieira Mendes. O crítico de cinema e programador que, nos últimos anos, tem levado a MHD e seus leitores a Berlim, Cannes e Veneza, ainda foi convidado a escrever um livro, catálogo do ciclo sobre o cinema português do século XXI.

cinema português seminci jose vieira mendes
Capa do livro de José Vieira Mendes sobre o Cinema Português do século XXI.

Visita o site da SEMINCI para teres mais informações sobre este ciclo e as outras atividades desta semana de cinema. Entretanto, se tiveres curiosidade, deixamos aqui a lista dos vários filmes selecionados por José Vieira Mendes para serem apresentados como representativos do cinema português deste século no estrangeiro.

Concordas com a escolha de filmes?

Lê Também:
13º IndieLisboa: Comemorar Abril com ‘Cartas da Guerra’

CICLO PORTUGAL SEMINCI 63 – LISTA COMPLETA DE FILMES

Longas-Metragens:

  • DJON ÁFRICA (2018) de Filipa Reis, João Miller Guerra
  • AMOR AMOR (2017) de Jorge Cramez
  • COLO (2017) de Teresa Villaverde
  • A FÁBRICA DE NADA (2017) de Pedro Pinho
  • FÁTIMA (2017) de João Canijo
  • RAMIRO (2017) de Manuel Mozos
  • VERÃO DANADO (2017) de Pedro Cabeleira
  • CARTAS DE GUERRA (2016) de Ivo M. Ferreira
  • O ORNITÓLOGO (2016) de João Pedro Rodrigues
  • SÃO JORGE (2016) de Marco Martins
  • JOHN FROM (2015) de João Nicolau
  • MONTANHA (2015) de João Salaviza
  • CAVALO DINHEIRO (2014) de Pedro Costa
  • YVONE KANE (2014) de Margarida Cardoso
  • A VINGANÇA DE UMA MULHER (2012) de Rita Azevedo Gomes
  • TABU (2012) de Miguel Gomes
  • AQUELE QUERIDO MÊS DE AGOSTO (2008) de Miguel Gomes

Documentários:

  • CARTAS A UMA DITADURA (2018) de Inês de Medeiros
  • E AGORA? LEMBRA-ME (2013) de Joaquim Pinto
  • A ÚTLIMA VEZ QUE VI MACAU (2012) de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata
  • É NA TERRA NÃO É NA LUA (2011) de Gonçalo Tocha

Curtas-Metragens:

  • ÁGUA MOLE (2017) de Laura Gonçalves e Alexandra Ramires
  • FARPÕES BALDIOS (2017) de Marta Mateus
  • COELHO MAU (2017) de Carlos Conceição
  • BALADA DE UM BATRÁQUIO (2016) de Leonor Teles
  • CIDADE PEQUENA (2016) de Diogo Costa Amarante
  • ESTILHAÇOS (2016) de José Miguel Ribeiro
  • A GLÓRIA DE FAZER CINEMA EM PORTUGAL (2015) de Manuel Mozos
  • O VELHO DO RESTELO (2014) de Manoel de Oliveira
  • RAFA (2012) de João Salaviza
  • HISTÓRIA TRÁGICA COM FINAL FELIZ (2005) de Regina Pessoa

Fica sempre atento à MHD, para estares a par das novidades no que diz respeito aos grandes festivais de cinema internacionais e nacionais.

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *